Covid-19: Cidades da Bahia negam aplicação de doses vencidas da AstraZeneca

Saúde
Prefeitura de Salvador nega aplicação de doses vencidas da AstraZeneca — Foto: Ari Dias/AEN/Divulgação

Prefeituras de cidades baianas negaram que tenham aplicado doses vencidas da AstraZeneca, vacina contra a Covid-19. A informação foi divulgada após pesquisadores apontarem, nesta sexta-feira (2), que 26 mil doses vencidas desta vacina foram aplicadas no Brasil.

As prefeituras de Salvador, Vitória da Conquista e Juazeiro já se posicionaram.

De acordo com os pesquisadores, o levantamento foi feito com base no cruzamento de dados oficiais do governo federal e apontam que os lotes mencionados constam no Sistema Único de Saúde (SUS).

As prefeituras citadas, no entanto, atribuem o resultado do levantamento a falhas na inclusão de dados no SUS, que recebeu anotações com atraso de até dois meses.

Segundo informações da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Salvador, não há ocorrência de aplicação de doses vencidas na capital baiana. A cidade recebeu dois dos lotes apontados pelos pesquisadores – Lote CTMAV506 / Lote 4120Z005 – e todas as doses foram administradas antes da data de vencimento dos imunizantes.

A SMS ainda destacou que a coordenação de imunização do órgão identificou episódios de equívocos relacionados ao lançamento de dados no sistema da estratégia, ou seja, a aplicação das doses foi realizado dentro do período determinado pelo fabricante do imunobiológico e apenas no sistema do banco de dados do Ministério da Saúde foi efetuado em data posterior a aplicação da vacina.

A pasta também afirmou que tem utilizado todas as ferramentas para minimizar possíveis falhas no processo de imunização contra a Covid-19 na cidade.

Quem também negou a aplicação de doses vencidas da AstraZeneca foi a prefeitura de Vitória da Conquista, a terceira maior cidade do estado, que fica localizada na região sudoeste.

De acordo com a SMS de Vitória da Conquista, o lote de vacinas AstraZeneca/Oxford de número 4120Z-005, com vencimento em 14 de abril de 2021, foi recebido no município em 24 de janeiro e utilizado antes do vencimento.

Ainda assim, a SMS orienta que, para tirar a dúvida, as pessoas confiram no cartão de vacinação o número do lote e a data em que foram vacinadas.

A Diretora de Vigilância em Saúde de Vitória da Conquista, Ana Maria Ferraz, informa que está sendo averiguado o porquê do lote mencionado ainda constar no sistema.

Já a prefeitura de Juazeiro, cidade do norte da Bahia, informou, através da Secretaria de Saúde (Sesau), que as doses do lote 4120Z005, com vencimento para o dia 14 de abril foram do primeiro lote recebido pelo município.

De acordo com a Sesau, o município de Juazeiro realizou a administração das vacinas desse lote nas Unidades de Saúde antes do vencimento.

Além disso, a última nota registrada pela Sesau no Sistema de Insumos Estratégicos (SIES) sobre este lote foi enviada em 23 de março.

A Sesau de Juazeiro ainda ressaltou que todas as vacinas, antes de serem aplicadas, são conferidas pelas equipes de saúde da cidade e que os imunizantes não ficam estocados. A pasta também informou que pode ter havido algum erro no sistema ou cadastro tardio das informações.

Além das prefeituras, o Governo da Bahia também emitiu uma nota, por meio da Secretaria Estadual de Saúde (Sesab), e disse que não houve aplicação de doses de vacina contra Covid-19 com data de validade vencida em Salvador e outros municípios, a exemplo de Juazeiro, como está sendo erroneamente divulgado.

Conforme explica a superintendente de Vigilância e Proteção da Saúde (Suvisa), Rívia Barros, os imunizantes foram aplicados no prazo de validade, mas a notificação, ou seja, o registo no sistema do Ministério da Saúde ocorreu depois da data de vencimento da vacina.

A Sesab acrescentou ainda que pode também ter acontecido um erro de digitação no sistema do Ministério da Saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *